sábado, 6 de fevereiro de 2016

Campanha pede que estabelecimentos liberem banheiros para ajudar a manter as ruas limpas no Carnaval

post-10
Carnaval é tempo de alegria, calor e sede, muita sede. Claro que chega uma hora que todo mundo fica apertado pra fazer xixi e nem sempre tem um lugar para recorrer. Como a rua é para dançar e não para urinar, a campanha Banheiro Livre aposta na solidariedade e sai em busca de estabelecimentos paulistanos que liberem seus banheiros para uso nos dias de folia, deixando as vias públicas mais limpas.
A ideia é nova e está sendo colocada em prática pela primeira vez por um grupo de quatro amigos, que têm o árduo trabalho de convencer os donos de lojas de conveniência, bares, lanchonetes e restaurantes a fazerem um esforço pelo bem coletivo. “Todos que conseguimos até agora foram na praça mesmo. Explicamos para eles sobre o projeto e alguns curtiram”, contou Airton Dias ao Hypeness, um dos responsáveis pela iniciativa.

MPPE recomenda que 24 municípios não realizem Carnaval; 2 mantêm festa

O Ministério Público de Pernambuco recomendou a prefeitos de 24 municípios que não realizem gastos com o Carnaval utilizando recursos públicos municipais. A recomendação é voltada especialmente para despesas com festas e shows, motivada por problemas com pagamento de servidores. Dois deles, Arcoverde e Pesqueira, confirmaram a manutenção das festas de momo.
Segundo o MPPE, a medida é válida também para prefeituras que devem a apenas uma parte dos servidores - ainda que eles sejam de cargos comissionados e contratos temporários.
Receberam recomendação os prefeitos dos seguintes municípios: Lagoa dos Gatos; Tracunhaém; Tabira; Ibimirim; Goiana; Brejo da Madre de Deus; Jataúba; Aliança; São José do Belmonte; Glória do Goitá; Itamaracá; Mirandiba; Itaíba; Pesqueira; Ribeirão; Santa Cruz do Capibaribe; Palmares; Paudalho; Alagoinha; Arcoverde; Inajá; Quipapá; Escada; Poção e Ribeirão.

Ministério pede que as prefeituras não utilizem recursos públicos em festas.
Prefeituras de Arcoverde e Pesqueira informam que festas estão mantidas.

Homem é decapitado em acidente de trabalho em Sanharó


Um homem de 39 anos foi decapitado em um acidente de trabalho na zona rural de Sanharó, Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar, ele descarregava um caminhão de mandioca quando teve a cabeça decepada. Testemunhas não souberam informar à polícia como o caso aconteceu. A vítima foi encontrada presa aos cabos de aço que estavam no local, conforme informou a PM. O acidente ocorreu na sexta-feira (5).

Ainda segundo a polícia, os cabos de aço estavam amarrados no caminhão e em uma árvore. A PM informou que o motorista do veículo e três funcionários da fazenda na qual a vítima trabalhava fugiram do local. Os trabalhadores foram localizados pelo dono da propriedade rural e prestaram depoimento à Polícia Civil. Até a publicação desta matéria, o motorista não foi encontrado.

O corpo do homem foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru e o caso será investigado pela Delegacia de Polícia Civil de Sanharó.

Jovem pisa em bagre durante partida de futebol na praia

Jovem pisou em bagre durante partida de futebol em Santos (Foto: Caio Bio / Arquivo Pessoal)
Um adolescente de 16 anos pisou no "ferrão" de um bagre enquanto jogava uma partida de futebol na praia de Santos, no litoral de São Paulo, nesta sexta-feira (5).
De acordo com uma testemunha, o jovem estava com um grupo de amigos, no bairro Ponta da Praia, quando se acidentou. O Corpo de Bombeiros foi acionado e realizou o resgate da vítima.
"Estávamos jogando bola próximo as tendas, quando ele pisou no bagre. Como o animal estava sob a areia, não conseguimos ver. Como não pode tirar o peixe após a contusão, chamamos os bombeiros. Ele reclamou bastante de dor", explica Caio Flores Bio, de 16 anos, que estava com a vítima no momento do acidente.
O jovem foi encaminhado ao Pronto Socorro da Zona Leste e, segundo a Prefeitura de Santos, teve um ferimento na região da sola do pé. Após receber os cuidados médicos necessários, o rapaz foi liberado.
Os casos preocupam moradores e turistas, mas o biólogo Alexandre Pires Marceniuk, especialista em peixes marinho-estuarinos, não vê motivo para pânico. O biólogo afirmou que a espécie não ataca humanos e que, no momento do acidente, os animais provavelmente estavam mortos.
As regiões de Itanhaém onde os acidentes aconteceram são próximas e marcadas pelo encontro do rio com o mar.
O biólogo aconselhou os banhistas que frequentam as praias a ficarem atentos, já que os espinhos podem causar graves ferimentos. "É como se fosse um anzol. Ele entra fácil e é muito difícil de sair. Os ferrões causam uma infecção. Se alguém puxar o espinho vai ser pior ainda, porque pode causar uma dilaceração. Tem que ir ao médico de qualquer jeito", afirmou.

HISTÓRIA: Por que, na maioria das sociedades humanas, deu-se aos homens o status social mais elevado?

Na época de nossos antepassados, milhões de anos atrás (por volta de 4 milhões, pra ser mais exato), a fêmea era muito independente. Ela vivia totalmente do jeito que queria (ou que lhe era possível querer) e provia os seus filhotes da forma que bem entendesse. Quando estava no cio, ela simplesmente ia até um local e expunha suas genitálias, assim como os bonobos fazem hoje em dia. 
O comportamento é retratado no excelente livro Eu, Primata, do biólogo Frans De Waal. A fêmea, que nessa época tinha a genitália bem perto do ânus, ficava em posição de quatro expondo sua vagina e liberando feromônios em um local no meio da floresta ou savana. Alguns machos interessados chegavam (às vezes, muitos num só dia) e copulavam com ela. Isso aumentava as chances de sucesso da reprodução e vários outros fatores que tornavam as possibilidades dela engravidar quase que certas.

Ela engravidava, isolada dos machos, e então paria, cuidando de seus próprios filhotes junto com as outras fêmeas também independentes. O macho, basicamente, tinha o papel só de reprodutor.

Com o tempo, o canal vaginal da fêmea foi chegando mais pra frente, se distanciando do ânus e ficando mais frontal do que traseiro. A fêmea mudou suas táticas de “sedução”. Ela abordava um macho X e então poderia fazer grooming (ou catação – que é aquele processo de alguns mamíferos, principalmente primatas, afagarem e acariciarem o pelo de outro espécime enquanto catam parasitas), ou poderia simplesmente ir direito para intenção sexual, expondo sua vagina ou acariciando o pênis do macho. Muitas vezes, o próprio macho que ia de encontro à ela, que estaria exalando feromônios por conta do cio. Só que, como a vagina estava mais para frente, a posição de quatro já não era mais tão confortável, então começa-se a fazer sexo um de frente para o outro. O contato visual misturado à ocitocina (o famoso “hormônio do amor”, que é produzido durante o sexo. Ele tem várias funções, entre elas, diminuir o sangramento durante o parto, estimular a liberação do leite durante a amamentação e desenvolver empatia e carinho pelo espécime no qual está se copulando), criava um vínculo entre os copuladores. O  via ali uma fêmea na qual ele criou um vínculo emocional e, além disso, uma chance de ter uma garantia de cópula sem precisar de um gasto elevado de energia para competir por isso. A fêmea, além de tudo isso, encontrava um ser ligeiramente mais forte que tornaria a criação de seu filhote mais segura.

Nesse momento, nasce a família! O macho querendo uma cópula segura e estável e a fêmea querendo o mesmo, além da proteção durante a gestação e depois do nascimento do filhote. Isso causou muitas mudanças evolutivas na fêmea, como parar de produzir feromônios sentidos pelo macho à distância, mudança nas características sexuais femininas (seios mais arredondados e volumosos, por exemplo), alterações hormonais bruscas, além de todas as outras transformações evolutivas causadas por outros fatores.

Mas, quando o macho se tornou dominante e a fêmea deixou de ser independente? Quando o acordo pendeu mais para um lado do que para o outro? Ao que tudo indica, os dois no início viviam pacificamente e não havia superioridade de um pelo outro. Encontra-se machos e fêmeas enterrados da mesma forma, por exemplo. Eles não tinham porquê para competir, só para cooperar. Estava bom para os dois lados. Mas o que aconteceu? O macho precisava manter a fêmea, pois, caso contrário, ela poderia partir em busca de outro macho mais saudável Isto é, levando em conta que o social e o mental (entenda isso como a capacidade de se socializar e a inteligência, ou capacidade de raciocinar complexamente) naquela época eram coisas bem rudimentares e mal poderiam ser considerados atrativos sexuais. As características biológicas (não que o social e o mental não sejam biológicos, apenas para ser mais didático) eram levadas mais em conta. Então, se um macho com o corpo em triângulo invertido (ombros largos, cintura e quadris finos – que indica à fêmea que esse macho é saudável) passasse por ali, ela iria querê-lo, se o seu parceiro fosse menos “biológico”. O que iria impedi-la? Violência? Ora, uma característica forte da violência, é o ódio que ela causa. Se o macho começasse a tratá-la de forma violenta por conta disso, ela viveria com aversão ao parceiro e com a ideia de fugir, assim que tivesse a primeira oportunidade. Violência então não seria uma resposta segura. Então o que usar? Aquilo de mais forte que há no ser humano, mais forte do que a própria força bruta… As ideias! 


Cria-se, então, entre os machos, formas de tornar a fêmea um ser mais passivo. Milhões de anos de complexos processos criam as religiões, as culturas e os contratos sociais que enaltecem a figura do homem como o provedor absoluto ou patriarca e a mulher como a dona de casa que cuida dos filhos e da manutenção do lar (já que, ficando em casa, o risco da procura por outros machos diminuiria bastante).

Fonte: universoracionalista

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

EPIDEMIA: Paciente foi infectado com zika, dengue e chikungunya ao mesmo tempo

Um estudo publicado no "Journal of Infection and Public Health" revelou em janeiro o que se acredita ser o primeiro caso de tripla infecção simultânea por zika vírus, dengue e chikungunya em um ser humano. Um grupo de infectologistas colombianos lideraram a pesquisa e relataram os resultados na publicação médica.

O paciente é um homem de 49 anos natural da cidade de Sincelejo, no norte da Colômbia, que procurou atendimento sentindo febre e com efeitos de conjuntivite em ambos os olhos, além de manchas vermelhas no corpo. Inicialmente, ele foi testado para dengue e chikungunya, tendo apresentado resultado positivo nos dois exames. A amostra foi posteriormente testada para zika, também sendo confirmada a infecção. Exames de outras doenças, como malária, retornaram negativas.

O homem relatou ter viajado recentemente a diferentes localidades do país, as quais tiveram casos confirmados de zika. "É o primeiro caso reportado na Colômbia e na América Latina dessa coinfecção entre dengue e chikungunya e provavelmente a primeira no mundo que também inclui zika", escreveram os pesquisadores Alvaro Faccini-Martinez, Carlos Botero-Garcia, Fabian Benitez-Baracaldo e Carlos Perez-Diaz, que assinam a pesquisa.

O paciente se recuperou bem das infecções e foi liberado. Os especialistas alertam para necessidade de pesquisas principalmente sobre o zika. "Apesar de casos de zika não terem sido descritos como severos, o espectro clínico da doença permanece incerto e, considerando o rápido desenvolvimento da epidemia na América Latina, o assunto merece uma futura análise", disseram. 

Motorista persegue policial que ultrapassou limite de velocidade

Uma motorista inverteu os papéis e perseguiu um policial que dirigia muito acima do limite nos Estados Unidos. Abordado e filmado, ele admitiu a infração e pediu desculpas.
O caso aconteceu no condado de Miami-Dade, quando Claudia Castillo estava a caminho do trabalho, na sexta (29). Ela afirma que dirigia a 60 km por hora quando foi ultrapassada pela viatura, que estaria a mais de 120 km por hora.
Ela então acionou a câmera de seu celular e passou a perseguir a viatura pela Palmetto Expressway. Para conseguir se aproximar, ela admite que também desrespeitou o limite de velocidade e chegou a 120 km por hora.
A essa altura, porém, o policial já havia acelerado e estaria a mais de 150 km por hora, segundo Castillo. Depois de uma longa perseguição, ela finalmente conseguiu se aproximar e chamou atenção com gestos.
O policial parou e foi até o carro dela. Ao ser questionado, ele afirmou que estava a caminho do trabalho e parou por achar que Castillo estava com algum problema. Confrontado, ele admitiu: “Eu peço desculpas e certamente vou desacelerar, madame”.

Secretaria de educação abre inscrições para Escola Técnica Edson Mororó Moura

A Secretaria estadual de Educação de Pernambuco abre seleção abre processo seletivo para Escola Técnica Estadual Edson Mororó Moura em nosso município, oferecendo os cursos técnicos em Administração e Informática (Desenvolvimento de Sistemas) que vem engrandecer a educação da nossa cidade, as inscrições serão exclusivamente via internet através do site www.educacao.pe.gov.br no período de 03 a 17 de fevereiro.

A seleção é para estudantes que tenha concluído o 9º. Ano do Ensino Fundamental em 2014 ou 2015 e tenha idade máxima de 17 anos no ato da matrícula, mesmo que já estejam matriculados no 1º ano do Ensino Médio.

A inauguração da unidade de ensino está prevista para março deste ano e beneficiará cerca de mil estudantes.

Ex-presidente da Ferrari diz que notícias sobre Schumacher 'não são tão boas'

Heptacampeão mundial sofreu grave acidente de esqui em 2013. / Foto: AFP
Ex-presidente da Ferrari, o italiano Luca di Montezemolo, deixou alarmados os fãs do alemão Michael Schumacher nesta quinta-feira, admitindo que não há informações positivas sobre a recuperação do heptacampeão mundial, que sofreu grave acidente de esqui em 2013.
"Eu sempre tenho notícias deles, e elas não são tão boas como eu esperava", lamentou o agora mandatário da Alitalia, em evento organizado por uma revista italiana especializada em automobilismo.
Montezemolo não entrou em detalhes sobre a condição clínica de Schumacher, que é alvo de muitas especulações devido a falta de notícias divulgadas pela família. O ex-dirigente da Ferrari se limitou a falar sobre a ironia de uma tragédia ocorrida após o alemão encerrar a carreira em um esporte de alto risco.
Mandatário da Ferrari entre 1991 e 2014, Montezemolo afirmou que Schumacher sempre era cuidado quando esquiava, por isso o trágico acidente pegou de surpresa a todos. "Não é verdade que Michael fosse um esquiador imprudente. Fora da pista, ele sempre teve cautela, sobretudo quando esquiava", garantiu o empresário.

PM se passa por garota de programa e prende traficante em boate

Lorrayne Neves manteve contato com traficante por telefone (Foto: Arquivo pessoal/ Lorrayne Neves)
Uma policial militar de Nova Ubiratã, a 506 km de Cuiabá, ganhou fama na região onde vive após se passar por uma garota de programa para prender um traficante. Lorrayne Neves, única policial do sexo feminino do município, entrou em contato por telefone com o homem, que foi capturado após revelar onde estava e esperar pela policial que havia dito que iria ajudá-lo a fugir, na segunda-feira (1º).
Acusado de tráfico, o homem de 22 anos estava com o mandado de prisão em aberto. Naquele dia de manhã, a polícia foi até a casa dele para tentar prendê-lo e, no local, encontrou a mulher dele, que foi presa. Duas crianças, filhas do casal, foram encaminhadas para o Conselho Tutelar. Na residência, foram encontrados 145 gramas de maconha. 
A policial contou que a ideia de tentar enganar o criminoso surgiu quando estava na casa dele para cumprir o mandado de prisão junto com outros colegas. A mulher dele tentava manter contato com ele para tentar identificar onde ele estava e a policial decidiu tentar também.
“Foi uma aposta, como já tinha achado a droga na casa dele, decidi ligar. Pensei: ‘vai que dá certo’. Apesar disso, não imaginei que pudesse funcionar. Estava duvidando um pouco que ele iria acreditar na minha história”, revela.
A policial fez várias ligações para o homem que acabou atendendo uma delas. Ela fingiu ser uma das garotas de programa de uma boate da cidade e afirmou que gostaria de comprar entorpecente.
“Inventei na hora o nome de Luana e comecei a falar com gírias. Ele acabou me contando que a polícia estava a procura dele e que ele estava tentando fugir. Me ofereci para ajudar de alguma forma, mas ele não acreditou direito e depois nem atendeu mais o telefone”, explica.
Depois de algumas horas sem resposta, ela recebeu o retorno. Ela conta que “se fingiu de difícil” para despistar ainda mais. “Falei que queria ajudá-lo, mas que estava com medo e que não queria ser presa”, argumenta.
Nesse momento, o foragido afirmou à policial que ela poderia ficar tranquila e contou o seu plano de fuga. O homem também contou que estava na boate onde a suposta garota de programa trabalhava e que ela poderia o encontrar lá.
A soldado relata que preparou, junto com outros seis policias militares da cidade, um cerco para prender o suspeito. Eles chegaram ao local sem farda e, mesmo assim, quando o homem os viu, tentou correr depois de perceber que eles estavam armados e suspeitou que seriam policiais.
O jovem foi encurralado, capturado e levado para a delegacia da cidade. Ainda nesta semana, o homem foi encaminhado para o presídio Osvaldo Florentino Leite Pereira, em Sinop, a 503 km da capital, onde deve aguardar julgamento.